11 outubro 2014

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

             No final do sermão do Monte, em Mateus 7, Jesus, fala sobre o perigo de fazer um julgamento, sobre algo ou alguém. " NÃO JULGUEIS PARA QUE NÃO SEJAIS JULGADOS." Este versículo se tornou a arma de quem não tem a intenção de ser CONFRONTADO por suas atitudes, conduta, ética, práticas, etc... As pessoas buscam este versículo para se defenderem quando geralmente sabem que estão erradas.

         Mas existe um outro lado, ainda muito ruim tanto quanto não querer ser julgado, ou confrontado. Me refiro a prática de possuir um julgamento duplo, ou medir as coisas de formas diferentes. Vou dar um exemplo. 

                Quando eu estudava ainda na 6ª série do ginásio, (a maioria não sabe, mas esse era o que é hoje o ensino fundamental) eu tinha uma letra não muito boa, minha caligrafia era má. Na minha classe, em plena ditadura militar, éramos separados por fileiras: de um lado ficavam os meninos mais pobres, de famílias que trabalhavam em fazendas e do outro, ficavam os filhos dos patrões ! Isso acontecia em todas as classes !! Uma professora nossa, por nome de Odília, era uma ferrenha defensora do regime militar e quando soube que eu viera da cidade de Santo André, que meu pai era aposentado de uma empresa do ABC, parece ter ligado a mim com o movimento grevista da época e passou a me perseguir. Ela dizia que minha letra era horrível e eu era um garoto preguiçoso que não queria melhorar e me esforçar. Mas do meu lado, um amigo por nome de Sergio, filho de um fazendeiro, vereador e presidente da câmara municipal, e membro da ARENA, partido político do governo militar, tinha uma letra pior que a minha. E a gente até brincava com ele, pois ele tinha descendência japonesa e a gente dizia que ele literalmente escrevia em japonês. Mas a professora Odília, dizia que ele precisava, comprar um caderno de caligrafia e treinar um pouco e ser menos afobado ao escrever, ele precisava ser mais calmo, descansar mais ! Um dia ela me expôs como sempre fazia na classe, e eu disse que não tinha tempo para treinar a caligrafia, pois eu trabalhava no período da tarde! Ela se quer deu-se ao luxo de me ouvir ! Ela era professora das antigas matérias Educação Moral e Cívica e OSPB, Organização social e Política Brasileira.
Dou este exemplo, para mostrar que existem pessoas que se utilizam de dois pesos e duas medidas em todos os lugares na sociedade. 



               
                  Quem se utiliza disso, na verdade, esconde em si mesmo esses dois lados. Dona Odília, gostava da ideologia política e situação social do pai do Sérgio, não que ela não gostasse de mim, mas sua preferencia partia de um pressuposto ideológico e um desejo de se beneficiar de alguma coisa. Quando alguém faz assim, no fundo, ele quer se beneficiar, usufruir de algo, ou alguém.
Trazendo para igreja, notemos como as pessoas são julgadas de formas diferentes: existem pesos diferentes dentro da igreja também. As pessoas julgam por aparências, por ideologias, costumes, doutrinas e não com reto juízo como disse Jesus.

               As formas como tratamos as pessoas de situações financeiras e sociais, revelam exatamente um pouco de nosso caráter. Já vi casos de obreiros sendo punidos por coisas que outros no mesmo ministério não foram. Uma coisa é tratar o caso do irmãozinho Zezinho da vila e outro o irmão Dr Josezão do Carrão !!

                  Será que temos dois pesos e duas medidas ou somos prudentes ao ponto de fazer como Moisés, que não vacilou ao tratar com sua família rebelde, no caso Arão e Miriã ???

                   O pecado do irmão pobre é mais grave que do irmão que tem um carrão importado e dá um bom dízimo na igreja ? Quando nos utilizamos de pesos e medidas diferentes com as pessoas, na verdade, estamos evidenciando em nós um caráter e um senso de justiça cristãos deformados.

                 Certa vez, numa reunião de ministério, um irmão havia brigado com um vizinho e este era apenas membro da igreja e para piorar ainda estava desempregado e a igreja lhe dava uma cesta básica todo mês. O pastor não titubeou e lhe suspendeu por seis meses da comunhão da igreja e cortou a cesta básica, sem pensar na família do mesmo. No mês seguinte lá estávamos nós de novo, mas agora com o caso de um irmão que tinha uma frota de peruas escolares e seu dízimo era mais da metade do orçamento da igreja. Ao ser proposto a disciplina o pastor falou: " Vamos com calma irmãos, pois ele mantém quase que sozinho toda nossa igreja, se formos muito pesado ele pode sair da igreja. Perderemos a ajuda e ainda poderemos dar conta da alma dele a Deus. "

                 Este é um caso clássico de dois pesos e duas medidas. Julgar atos iguais de maneiras diferentes, pois para Deus, pecado não tem TAMANHO e a única cura é o SANGUE de Jesus....

Em Cristo,
Pr Ivair J. Lehm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EM DEFESA DA PALAVRA DE DEUS

EM DEFESA DA PALAVRA DE DEUS

NOTÍCIAS CRISTÃS

VOCÊ PODERÁ GOSTAR TAMBÉM: