02 setembro 2012

A IMENSURAVEL GRAÇA DE DEUS

          Tenho meditado nisso nesses últimos dias. Na imensurável graça de Deus em favor do homem e sua natureza pecaminosa e corrompida. Hoje de manhã, na Escola Dominical em minha igreja, pude falar, anda que apenas um pouco, mas falei sobre esta graça.

           O problema é que vivemos num meio muito legalista, cheio de dogmas, regras, "doutrinas", normas que são ou foram estabelecidas por homens e acabaram ganhando um status de autoridade Bíblica e as vezes até maior que a própria Palavra de Deus.

         Continuamos a medir as pessoas pelas roupas que usam; pelo tipo de musica que ouvem; pela quantidade de vezes que vão a igreja; pelas doutrinas que defendem; pela orações prolongadas e cheias de palavras bonitas e frases bem elaboradas; pelas palavras de efeito e chavões evangélicos que falam nos púlpitos; pelas línguas estranhas que falam o tempo todo; pela libertação dos vícios; da tv, das bebidas, cigarros, drogas...claro que devemos observar estas coisas boas, mas não podemos medir a espiritualidade de alguém, apenas por coisas aparentes.

           A única pessoa deste universo que teria o direito de arremessar uma pedra bem no meio da testa daquela mulher adultera era o próprio Jesus, mas ele preferiu liberar perdão e dar uma nova oportunidade para aquela infeliz mulher.

          Aquele pai registrado em Lucas 15, era o único que poderia rejeitar aquele filho que jogou tudo fora com as meretrizes vivendo dissolutamente, mas este pai o recebe, se atira ao pescoço do filho, o beija e o restitui como filho e não apenas como um trabalhador domestico.  Hoje esquecemos que mesmo parecendo com os fariseus da época de Jesus, também somos tão pecadores quanto aqueles que levaram a mulher para ser apedrejada. Esquecemos que somos como os prováveis murmuradores da casa daquele homem, que devem ter esperado um tratamento severo por parte do pai aquele filho prodigo, mas nestas duas passagens, vemos a graça de Deus se manifestando e recuperando, salvando, protegendo os infelizes pecadores.

    Se Deus ME tratasse segundo as minhas falhas, eu ESTARIA PERDIDO ETERNAMENTE. Acho que a maioria de nós não teríamos lugar na presença de Deus. Paulo sabia, conhecia e entendia a graça de Deus, quando reconhece, por carta ao Romanos no capitulo 7, as suas limitações e sua constante luta contra SI MESMO. Se eu e você, pregássemos isso, ou abríssemos o nosso coração, como fez Paulo por carta, as pessoas nos teriam como DESVIADOS E PERDIDOS, indignos de sequer estar nos átrios do Senhor.

          A graça de Deus é que nos mantém, na presença de Deus...não temos mérito algum, não temos nada de bom ou excelente para que o Senhor se agrade de nós, mas ELE NOS ESCOLHEU, mesmo sabendo de nossas limitações, falhas, erros e pecados, mesmo conhecendo nossa estrutura e sabendo  que em nós não habita BEM ALGUM...

A GRAÇA DE DEUS TEM SUPERABUNDADO EM NOSSAS VIDAS E ISTO NOS TEM FEITO VENCEDORES....pense nisso quando o teu inimigo, ou alguém te acusar de alguma coisa...

Em Cristo Jesus
Pr Ivair J. Lehm

Um comentário:

  1. A Paz de Cristo,

    Visitar seu blog alegrou meu coração as suas palavras contagiam.
    Te espero no meu cantinho, vc é especial para o Blog Fruto do Espírito.

    Com todo afeto esperando sua visitinha... e também sua presença como seguidora, retribuirei o carinho!

    http://frutodoespirito9.blogspot.com/

    ***Lucy***


    P.S. Visite também:

    http://discipulodecristo7.blogspot.com/

    ResponderExcluir

EM DEFESA DA PALAVRA DE DEUS

EM DEFESA DA PALAVRA DE DEUS

NOTÍCIAS CRISTÃS

VOCÊ PODERÁ GOSTAR TAMBÉM: